O meu coração está-se a partir em bocados, nem a mim própria me reconheço. Abraço-me à almofada e relembro o nosso primeiro olhar, a nossa primeira palavra pronunciada, a primeira vez que sorri para ti, tudo! Lembro-me de todos os nossos momentos, brincadeiras e cumplicidades e algumas lágrimas caem. Será saudade? Tristeza? Nem eu tenho a certeza, e não interessa, apesar de tudo só gostava de poder ouvir a tua voz, sentir o teu perfume na minha roupa, observar-te a dormir no meu colo, gostava só apenas de ti aqui por uma última vez! Não me importo se vais estar de bom ou de mau humor, nem se vais dizer algo bonito, da forma que fazias antes. Não importa, de verdade, se vais ao menos olhar para mim ou sorrir, podes permanecer olhando para o lado oposto. Mas agora não importa o que eu quero, nada importa neste momento. Só sei que a partir de agora vou ter de aprender a viver sem ti, mas tudo na tua ausência torna-se difícil. Sempre me dês-te forças, sempre fos-te o meu “porto seguro” e neste momento não passas de um amigo, de um grande amigo! Tenho mesmo muita pena que as coisas acabassem assim, a cinco dias de fazer 10 meses e dois meses de fazer um ano. Depois de lutar-mos os dois tanto um pelo outro, o nosso amor parece que chegou a um fim. Só te peço que encontres alguém que te ame tanto como eu te amei e como continuo a amar, só quero que encontres alguém que dê tanto "dele" como eu dei de mim a ti, não quero que encontres alguém como eu, quero que encontres simplesmente alguém que te faça o homem mais feliz do Mundo, e que o faça por mim, já que eu não sou suficiente para o fazer. Ricardo, foi muito bom enquanto durou mas tudo tem o seu fim e o nosso? O nosso não era agora, mas tu assim quises-te. Entre lágrimas te digo uma última vez:
AMO-TE HOMEM DA MINHA VIDA!

Sem comentários: